A cerveja é melhor analgésico do que o paracetamol?

A cerveja é melhor analgésico do que o paracetamol?

Duas doses de cerveja é melhor do que um ou dois comprimidos de Paracetamol para a dor? A cerveja é uma das bebidas mais consumidas no mundo. A popularidade dessa bebida pode explicar por que há alguns meses, vários sites afirmam que a cerveja é melhor analgésico do que o paracetamol. Mas será que isso é verdade? Ou apenas uma desculpa para os bebuns de plantão beberem mais e alegares que é para curar suas dores? Afinal, a cerveja é melhor analgésico do que o paracetamol?

A cerveja é melhor analgésico do que o paracetamol?

A notícia que viralizou nas redes sociais tem como base um estudo científico realizado por pesquisadores da Universidade de Greenwich , e publicado no Journal of Pain como “efeitos analgésicos do álcool: uma revisão sistemática e meta-análise de estudos experimentais controlados em participantes saudáveis “.

Durante uma entrevista com o jornal The Sun, uma das primeiras mídias que publicou a nota. Trevor Thompson é o autor do estudo e professor de psicologia na Universidade de Greenwich, em Lodres. Ele tentou a explicar a sua pesquisa em termos simples. Ele disse que “O efeito do álcool pode ser comparado ao dos opioides, como a codeína. E é mais intenso que o do paracetamol.”

Além disso, detalhou que os efeitos analgésicos são produzidos a partir de um nível de 0,08% de álcool no sangue. Informação que o jornal britânico interpretou como “suas doses”.

Não necessariamente a cerveja

Assim, o The Sun afirmou que “dois copos de cerveja são ‘MELHORES que um paracetamol para acabar com a dor’ e reduzem a agonia em 25% dos casos”. Cervejas são melhores que comprimidos nestes casos. Mas primeiramente, é importante notar que o estudo fala sobre bebidas alcoólicas em geral. Em nenhum momento é mencionada a cerveja ou qualquer outra bebida.

Além disso, o estudo adverte que, embora “os resultados sugiram que o álcool é um analgésico eficaz. “Buscar alívio da dor através do álcool” pode promover dependência ou vício (alcoolismo) em pessoas com dor persistente. Isso ajudar a explicar a relação que tem sido observada entre pessoas que sofrem de dor crônica e o alto consumo de álcool. “Suas consequências são potencialmente negativas para a saúde a longo prazo, como doenças cardiovasculares, hepáticas, mentais ou cancerígenas,”

O estudo chega a detalhar que os efeitos analgésicos mais fortes do álcool “ocorrem em níveis que excedem as recomendações da Organização Mundial da Saúde ( OMS ) para um consumo de baixo risco”. Por isso sugerem intervenções alternativas e com consequências negativas para combater a dor.

Portanto, levando em conta as possíveis conseqüências negativas do uso de álcool como analgésico, a médio e longo prazo, bebidas alcoólicas, como a cerveja, não são precisamente ” melhores analgésicos do que o paracetamol “, como alegam muitos meios de
comunicação, e alguns bebuns que conhecemos.

Então, o que você achou disso? Deixe um comentário com a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *